19 outubro 2009

Brincando de Música

"... Hitome Kasuya tinha três (3) anos e tocava três horas de violino todos os dias. Muitos vão pensar: como uma criança de três anos consegue isso? A mãe de Hitome tinha comprado para ela um violino em vez de uma boneca, e deixava como fundo musical, um disco com a peça a ser estudada. Hitomi brincava com o violino o dia todo, como se fosse um brinquedo. Sua mãe, de vez em quando, lhe mostrava a maneira correta de tocar, seguindo nossa orientação, deixando Hitomi pensar que ela participava de um jogo com ela. Essa é a melhor forma de educação musical;"
(Suzuki, 1994, pg 92)
Na foto estão o Vini e a Ana, meus sobrinhos
aprontando todas lá em casa com a minha banda rítmica,
o Vini no metalofone e a Ana no pau de chuva!



Filho do dono da maior fábrica de instrumentos de cordas do Japão, Suzuki cresceu vendo a fábrica de seu pai como se fosse um playground, e os violinos como brinquedos. Até que um dia seu pai trouxe um gramofone, e ele ouviu o som do violino em uma gravação. Ouvindo repetidamente a gravação e experimentando, até encontrar os mesmos sons no instrumento, aprendeu sozinho os princípios básicos de como tocar violino e, depois, teve um ano de lições do instrumento e teoria da música em Tóquio, e mais tarde a oportunidade de aperfeiçoar-se na Alemanha.

A proposta de Suzuki, é que a música faça parte do meio da criança desde pequena, assim ela aprenderá naturalmente, como aprende a falar. Além disso, ele propõe que a criança tenha liberdade para manipular e brincar com o instrumento como ela faz com suas bonecas, bolas e carrinhos. Ele também propõe o estimulo de sua audição, colocando as músicas que se pretende que ela toque para que a criança ouça repetidamente durante seu brincar.

A proposta de educação musical de Suzuki é linda e fácil! Ele é o educador musical que mais admiro e gosto. Porém olhando para mim e ao meu redor, noto que por vezes, nós educadores musicais tendemos a forçar nossos alunos a um aprendizado técnico e frio. Quando ele, Suzuki, propõe um aprendizado sensível, onde o aluno irá experimentar, criar e brincar.

Quantas vezes proibimos nossos alunos de brincar com o instrumento, explorar suas sonoridades, movimentos e possibilidades? E acabamos por frustra-los impedindo que façam aquilo que mais almejam: tocar.
Nosso anseio é por um desempenho perfeito tecnicamente e acabamos por deixar de lado o mais importante: o prazer de fazer música. Impedimos nossos alunos de ter prazer em tocar, de brincar com a música. Querendo ensinar técnicas, nos impedimos de ter prazer em dar aula, em brincar com a música...

Transformar minha aula em um playground e os instrumentos em brinquedos é um desafio que quero alcançar... Afinal meu propósito não é somente ensinar música, mas ensinar meus alunos a serem pessoas melhores fazendo uso da música.

Bom... Estou aprendendo com meus alunos, terei paciência comigo. Me dedicando e brincando eu chego lá.
Vamos brincar de música?
Dâmaris.


Fontes:
- De tramas e fios - um ensaio sobre música e educação
Marisa Fonterrada
- Da música - seus usos e recursos
Maria de Lourdes Sekeff

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Postagens mais acessadas

Visualizações de páginas da semana passada